O discurso paratópico de Haydée Nicolussi: literatura e política

Resumo: Investigar a escrita literário-política de Haydée Nicolussi, escritora capixaba de Alfredo Chaves, na década de 30, incluindo os registros de sua prisão entre 1935-36 no Rio de Janeiro, que darão a sua escrita uma condição plenamente paratópica, isto é, condição paradoxal de certos enunciadores e de certos discursos que estão dentro e fora de um espaço social, por isso mesmo críticos e marginais. Escrevendo dentro da prisão, posteriormente sob pseudônimos e tendo originais incinerados pela polícia, o estudo dos escritos deste período de Haydée Nicolussi pode revelar sua movimentação política e os aspectos mais polêmicos de sua obra literária. Como fundamentação teórica, a análise do discurso de Dominique Maingueneau, em diálogo com a filosofia política de Jacques Rancière e Michel Foucault, permitirão aprofundar categorias como subjetivação política e poder disciplinar, que garantirão uma análise dos textos políticos e, eventualmente, surgidos da detenção da autora.

Data de início: 2018-11-29
Prazo (meses): 24

Participantes:

Papelordem decrescente Nome
Coordenador Júlia Maria Costa de Almeida
Acesso à informação
Transparência Pública

© 2013 Universidade Federal do Espírito Santo. Todos os direitos reservados.
Av. Fernando Ferrari, 514 - Goiabeiras, Vitória - ES | CEP 29075-910