DESCRIÇÃO DE ESTRUTURAS LINGUÍSTICAS PARA PROCESSAMENTO AUTOMÁTICO DE LINGUAGEM NATURAL

Resumo: Este projeto tem como objetivo: a) apresentar uma descrição do comportamento morfo-sintático-semântico-pragmático de estruturas lexicais ambíguas para fins de processamento automático de linguagem natural, e b) para fins didáticos, no que diz respeito ao ensino de língua portuguesa. O projeto se desenvolverá na perspectiva da descrição de categorias lexicais ambíguas. A ambiguidade lexical trata do uso de uma palavra, em determinado contexto, que pode ser interpretada de duas maneiras. Geralmente, isso ocorre intencionalmente, para chamar a atenção do leitor de forma lúdica ou até humorística. Mas também temos de reconhecer que a polissemia das palavras é um fenômeno inerente ao léxico do português, por exemplo, o uso da palavra cega nos exemplos a) faca cega e b) moça cega apresenta sentidos diferentes. Em a) faca que não corta em b) moça que não enxerga. As descrições serão respaldadas por critérios sintáticos formais à luz da Teoria do Léxico-Gramática, Gross, (1975). Espera-se com este estudo a) mostrar critérios sintático-semânticos que possam levar o leitor a compreensão dos diferentes sentidos observados em cada caso e b) codificar as propriedades distribucionais do sentido de cada palavra, nos exemplos analisados, numa tabela que representa um recurso linguístico (GROSS, 1975) que pode ser utilizado por informatas em programas de processamento de linguagem natural.

Data de início: 2013-08-01
Prazo (meses): 24

Participantes:

Papelordem decrescente Nome
Coordenador Aucione das Dores Smarsaro
Transparência Pública
Acesso à informação

© 2013 Universidade Federal do Espírito Santo. Todos os direitos reservados.
Av. Fernando Ferrari, 514 - Goiabeiras, Vitória - ES | CEP 29075-910