Discurso midiático: relações de poder e manipulação

Resumo: A constatação de que a mídia é representante do poder que age nas sociedades fez surgir diferentes pesquisas que buscam refletir sobre a função do discurso midiático na produção de imagens sociais. O fato de a mídia, em nossa sociedade, representar um poder simbólico do discurso público justifica os estudos da análise crítica do discurso que procuram pensá-la como prática discursiva, como produto de linguagem e processo histórico, como agenciamento coletivo de enunciação, a fim de apreender seu funcionamento. Para tanto, é preciso analisar a circulação dos enunciados, os efeitos de verdade desse discurso, as posições de sujeito, as materialidades discursivas de onde surgem os sentidos e as articulações entre enunciado, enunciação, discurso e poder, manipulação, persuasão e sedução. Esta pesquisa procura, a partir de uma fortuna crítica transdisciplinar, desenvolver um diálogo tanto com teorias linguísticas, principalmente aquelas mais conhecidas no campo da análise do discurso (CHARAUDEAU, 2010; VAN DIJK, 2010, FAIRCLOUGH, 2001), como também com o pensamento arqueológico de Foucault (2010) em torno das relações entre poder-saber-verdade, com os conceitos-chave de agenciamento coletivo de enunciação, territorialização e desterritorialização de Deleuze & Guattari (1995) e Guattarri & Rolnik (1986). Nosso objetivo é investigar como o discurso midiático reforça ou não a construção de imagens públicas, produz territórios de legitimação como agente de discurso público e promove agenciamentos coletivos de enunciação. Toma-se como objeto de investigação e análise os diversos discursos midiáticos, preferencialmente os discursos produzidos na mídia local. Dessa forma, este trabalho se justifica por propor uma análise interpretativa da função da mídia na sociedade a partir das materialidades discursivas que se instalam na ordem da língua, no texto, produzindo efeitos que levam à compreensão de como os valores ideológicos são reproduzidos e de como os discursos político, religioso, econômico e o midiático se influenciam e são capazes de estabelecer relações legítimas de poder. Pretende-se não só contribuir com os trabalhos que tomam como objeto de reflexão as relações entre o discurso midiático e o poder, mas também demonstrar como a análise dos veículos midiáticos torna possível verificar as estratégias textual-discursivas que são utilizadas pela mídia para legitimar seu discurso e fazer valer seu lugar na elite simbólica.

Data de início: 2012-05-02
Prazo (meses): 24

Participantes:

Papelordem decrescente Nome
Aluno Mestrado Giselle Lopes Souza
Aluno Mestrado Raquelli Natale
Coordenador Micheline Mattedi Tomazi
Transparência Pública
Acesso à informação

© 2013 Universidade Federal do Espírito Santo. Todos os direitos reservados.
Av. Fernando Ferrari, 514 - Goiabeiras, Vitória - ES | CEP 29075-910